Perfil Dicas

outubro-rosa-moema

Outubro Rosa.

Em outubro. Juntas vamos lutar contra o câncer de mama!

outubro-rosa-moema
Fonte: Pinterest

O mês é dedicado especialmente na luta e na prevenção do câncer de mama. Você sabia que segundo o Instituto Nacional de Câncer, quase 60 mil novos diagnósticos são feitos a cada ano no Brasil, o que se traduz em um risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres. É bom lembrar que homens também podem ter câncer de mama, mas eles correspondem a apenas 1% de todos os casos.

Algumas mulheres podem não ter qualquer sintoma suspeito até descobrir que têm câncer. Porém, os mais comuns são:

outubro-rosa-previna
Fonte: Pinterest
dicas-mama-rosa-perfil
Fonte: Pinterest
  • Nódulo endurecido ou caroço (no seio ou na axila);
  • Irritação ou aparecimento de irregularidades em alguma parte da mama, como afundamentos ou franzidos que fazem a pele parecer com uma casca de laranja;
  • Inchaço na mama toda ou em parte dela;
  • Vermelhidão ou descamação da pele da mama ou do mamilo (bico do seio);
  • Saída de secreção pelo mamilo (que não leite);
  • Dor ou inversão do mamilo (quando o bico do seio fica para dentro).

Conhecer a sua mama é fundamental na luta contra a doença .

O autoexame não é considerado um dos exames preventivos do câncer, mas pode ser feito uma vez por mês, todos os meses, 3 a 10 dias após o aparecimento da menstruação ou em uma data fixa nas mulheres que já não têm menstruação. Embora o exame não permita fazer o diagnóstico do câncer, ajuda a conhecer melhor o corpo, permitindo que se esteja atento a possíveis alterações que possam surgir na mama.

Todas as mulheres após os 20 anos, com caso de câncer na família, ou com mais de 40 anos, sem caso de câncer na família, devem realizar o auto exame da mama e também a mamografia para prevenir e diagnosticar precocemente o câncer de mama.

Saiba que apenas a minoria dos nódulos percebidos na mama são tumores malignos. Embora vermelhidão, inchaço e dor quase sempre sejam características de uma inflamação (mastite) que não tem qualquer relação com câncer, há casos raros com essas características, por isso é importante relatar os sintomas ao médico.

Fatores de risco

Certas mutações genéticas herdadas de um dos pais podem estar por trás do câncer de mama, mas isso não é tão frequente quanto se imagina –apenas 5% a 10% dos casos de câncer de mama são hereditários.

  • Gênero: as mulheres têm uma propensão bem mais elevada ao câncer de mama que os homens. Sabe-se que o hormônio feminino tem um papel relevante em muitos casos;
  • Idade: a maioria dos casos ocorre a partir dos 50 anos. Quanto maior a idade, maior a probabilidade de adquirir mutações genéticas;
  • Etnia: mulheres brancas são ligeiramente mais propensas a ter câncer de mama do que as de outras etnias. Porém, existe um tipo de câncer mais agressivo que é mais diagnosticado em negras;
  • Exposição ao estrogênio: mulheres naturalmente expostas a uma quantidade maior de estrogênio ao longo da vida –como aquelas que tiveram a primeira menstruação antes dos 12 anos, a menopausa após os 55 anos, a primeira gravidez após os 30 anos e/ou não tiveram filhos — têm uma probabilidade maior;
  • Sobrepeso e obesidade: a adiposidade interfere nos hormônios e, portanto, pode ter um papel importante para o câncer de mama;
  • Tabagismo: há alguma evidência de que fumar também aumenta esse tipo de câncer;

Como é o tratamento do câncer de mama :

É importante destacar que quanto mais precoce é feito o diagnóstico ainda maior é a chance de cura .

Em linhas gerais, o tratamento de um tumor pode ser apenas local (com cirurgia e radioterapia) ou também sistêmico (com quimioterapia, terapia alvo e/ou terapia hormonal). A imunoterapia ainda tem sido usada apenas em caráter experimental para o câncer de mama.

Para vencer a doença é importante apoio familiar, fé e muita força .

O suporte psicológico é essencial para enfrentar o diagnóstico, o tratamento e o acompanhamento posterior, por isso não deixe de contar com a ajuda de um profissional com experiência em câncer, e solicitar a ajuda prática ou a companhia de familiares e amigos. Participar de um grupo de autoajuda ou trocar ideias com pessoas que já passaram pela experiência ajudam bastante.

Procure ONGS próximo de você !

A @cabelegria além de dar apoio para as pacientes também entrega de forma gratuita perucas para uso durante o tratamento de quimio.

cabelegria-outubro-perfil
Fonte: Instagram

A @quimioebeleza também é um super exemplo de mulher que venceu a luta e hoje inspira milhares de outras pacientes. Além do apoio psicológico a Flávia também ensina como usar lindos lenços na cabeça .

instagram-quimioebeleza-perfil-dicas
Fonte: Instagram

Até a proxima, beijos.

Mariana Pontes

No comments yet! You be the first to comment.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *